Quanto vale a sua atenção?

attention

Aposto que hoje (assim como ontem, anteontem e na semana passada) você ouviu alguém reclamando que não tem tempo. Seja o CEO de uma empresa, que não consegue agüentar a sucessão de viagens, decisões e ainda chegar de bom humor em casa; a mãe profissional, que leva os pequenos para a escola, vai para o seu trabalho e ainda volta com a missão de fazer a casa funcionar; ou ainda o seu filho de doze anos, que está estressado com a rotina escola/inglês/natação/violão/alemão/robótica/etc e tal.
A grande verdade sobre a vida dos nossos exemplos (e a nossa própria) é que ainda conseguimos arranjar tempo para ir para a academia, meditar e fazer um curso de gastronomia. Tudo isso para acabar com o mito de que não temos tempo. Quando você quer ter tempo, você se desdobra para isso. E se não der para se desdobrar, você compra o tempo de alguém para liberar o seu (estão aí as babysitters, as cozinheiras e as moças da limpeza – que não nos deixam mentir).
Toda essa reflexão começou na última reunião do Comitê de Marketing da Amcham, onde a pauta da vez foi “Storytelling – Capturando a atenção do cliente”. Fernando Palácios, diretor da Storytellers Brand ‘n’ Fiction, foi um dos convidados do encontro que me colocou para pensar. “Atenção é algo bem mais precioso do que o tempo”.
Voltando aos nossos personagens. Quantas destas atividades são realizadas com total atenção? Basta pensar na sua própria vida para lembrar momentos onde você fez algo completamente no automático, em quantas reuniões você rabiscou ideias paralelas ou quando você leu um projeto pensando nas próximas férias.
Quando o assunto é comunicação, conquistar a atenção do seu público é o grande desafio das empresas. E quando uma companhia confia esse trabalho à equipe da Conexus, o desafio passa a ser nosso.
Transmitir a mensagem da sua marca é a nossa missão diária – seja com o nosso departamento de assessoria de imprensa, transformando a sua filosofia em veículo de comunicação ou comunicando para os seus colaboradores. Mas, antes de tudo, também somos alvo desse bombardeio de informações e sabemos quanto vale a nossa e a sua atenção.